As férias são para descansar. É também nas férias que nos divertimos e passamos mais tempo com a família, nomeadamente com as crianças. E é na parte do divertimento e da partilha de tempo com a família e amigos, que a matemática pode ajudar... ficam aqui umas sugestões:

  • Nas viagens de automóvel, use os dígitos da matrícula do carro da frente, para chegar a 10 usando as operações matemáticas (por exemplo se a matrícula for 12-AA-34, uma hipótese será 3-1+4x2). Se fizer o jogo deverá surgir a necessidade de estabelecer algumas regras (a possibilidade de concatenar dígitos, permitir usar a potência ou o fatorial como operações). Dependendo da idade dos jogadores poderá tornar-se demasiado simples, aí poderá optar por variações do mesmo jogo (por exemplo atingir 12 em vez de 10... ou então 24, para fazer justiça à fonte de inspiração do jogo).

    Se a idade dos jogadores ainda não permitir este tipo de cálculo mental, pode ajustar o jogo para contagens de 2 em 2 (cada um dos participantes dirá na sua vez o número par seguinte), ou de 3 em 3, e depois contagens regressivas, e depois começar em 5, e todas as hipóteses que não sejam desmotivadoras (por serem muito difíceis, ou muito fáceis – fazer ajustamentos é essencial)... tente fazer contagens de 27 em 27!

  • Quando a viagem chegar ao fim e estiver na praia (ou no campo, ou na montanha), junte um monte de conchas (ou pedras, ou sementes)... e todos devem fazer a melhor estimativa do número de elementos amontoados. Depois é só contar para determinar a estimativa vencedora (na experiência que a fotografia registou, as estimativas foram 57, 63 e 80... e a contagem foi de 92 – incluindo a concha maior).

    Uma variação da atividade anterior consiste em estimar medidas, usando unidades menos convencionais, por exemplo, quantos pauzinhos de gelado mede a toalha de praia da Joana? Ou quantos telemóveis mede a perna do João? Outra hipótese é estimar medidas que não possam ser medidas (diretamente), como o raio da bola do Manuel, ou volume de água da piscina da Manuela. Nesta situação será importante negociar a melhor estimativa com algum debate (e se for necessário algum cálculo mais complicado pode sempre usar a calculadora do telemóvel).

  • Finalmente... se tiver um tablet ou um smartphone, instale algumas aplicações que permitam desenvolver competências matemáticas... são uma boa forma de (se) distrair e relaxar, ao mesmo tempo que se exercitam várias competências matemáticas. Existem muitas aplicações deste tipo, para todas as plataformas... aqui ficam dois exemplos de aplicações gratuitas, para a plataforma Android, com a particularidade de terem sido desenvolvidas por instituições portuguesas (HypatiaMat e Bica Games).

    Mas uma pesquisa nas páginas das aplicações do seu sistema operativo permitirá encontrar muitas mais (por exemplo, uma pesquisa com “tangram” encontra várias aplicações gratuitas).

Brincar com a matemática não deve ser confundido com a cobrança da recitação da tabuada ou a prescrição de cálculos repetitivos para automatizar algoritmos, enumerar definições ou reproduzir designações... nas férias a matemática não pode ser maçadora! E depois das férias também não!

primeira versão deste texto foi originalmente publicada na rubrica Valor Absoluto do Clube de Matemática da SPM, em 11 de julho de 2013.