A Matemática é uma ciência da perfeição e do detalhe. Fazer Matemática exige atenção ao pormenor e concentração total. Por vezes, um passo em falso, leva a construção de ideias menos conseguidas, a conclusões menos corretas. O erro é, portanto, intrínseco a quem realiza e faz Matemática, a quem aprende Matemática.

No entanto, a cultura do “não errar” é uma ideia que muitas vezes está associada em quem pensa nos que fazem matemática. Se se afirmar “Sou matemático” respondem sempre “Ah! Que inteligente que és!”. E se se disser “No outro dia, errei.” respondem sempre que não acreditam, que tal é impossível. Mas os Matemáticos também erram e fazem “asneiras”.

Em particular, quando se fala em Professores de Matemática, aí o erro é inaceitável, é “crime”... Um bom Professor não erra. Um bom Professor de Matemática tem que saber resolver todos os problemas. Um Professor de Matemática não mostra parte fraca ao conhecimento e aos desafios que se colocam. Um Professor de Matemática tem que saber tudo, resolver tudo. E, sem dúvida, tem de o fazer de forma imediata!

Cara comunidade educativa, um Professor de Matemática também erra! Um Professor de Matemática promove a cultura do erro de forma positiva. Um Professor de Matemática não sabe tudo, não resolve todos os problemas de Matemática de forma imediata. Um Professor de Matemática tem de estudar os assuntos. Um Professor de Matemática também estuda tal e qual os alunos, porque há áreas em que somos bons e dominamos por completo e há outras que nem tanto, porque não dá, são uma “seca” ou são difíceis.

Claro que o Professor de Matemática sabe mais do que os alunos (ou não tivesse estudado alguns anos o assunto de forma pormenorizada), mas por vezes o cérebro falha, os detalhes escapam, o enunciado não é lido corretamente e a estratégia ou o raciocínio não vem. O erro faz parte de ensinar... Tenho uma novidade para todos os que leem este texto... Os Professores de Matemática são seres humanos! “Lamento” informar.

Erramos. Só assim conseguimos ensinar e promover uma boa atitude em encarar a ciência que é a Matemática. Os alunos têm de perceber que antes de sermos Matemáticos, fomos alunos e somos humanos iguais a eles. A cultura do erro tem que ser encarada de forma positiva e normal. Não convém acontecer, isso sem dúvida... Mas, por vezes, existe e faz parte do que é ensinar e aprender Matemática. Há que encara-la com naturalidade e normalidade.